Search

CENTRO CULTURAL DA PENHA INAUGURA ESTÁTUA DO ARTISTA NEGRO, ITAMAR ASSUNÇÃO.

O compositor morou no bairro por 20 anos.


Reportagem de Caroline Rosseto


Na tarde chuvosa da última quarta-feira (15/12), foi inaugurada em frente ao Centro Cultural da Penha, Zona Leste de São Paulo, uma estátua feita de bronze, do artista icônico Itamar Assunção.


O cantor e compositor ficou muito conhecido por incorporar diversos estilos musicais em suas criações, como o jazz, samba, rock and roll e reggae, com composições carregadas de críticas sociais.


A programação começou com uma missa afro pela manhã, às 11h, na Igreja Nossa Senhora dos Homens Pretos, no Largo do Rosário.


A inauguração da estátua, que tem 1,80 de altura e demorou dois meses para ser concluída, contou com diversas personalidades, como a filha e a esposa do artista, Anelis Assumpção, a Secretária de Cultura, Aline Torres e o ex-ministro da Cultura e cantor e compositor, Gilberto Gil, que falaram da importância dele.


“No ano de 2020, conseguimos inaugurar o Museu Itamar Assunção, o primeiro museu dedicado a um artista negro brasileiro e mais uma vez, embora esse feito tenha sido feito por mim e por uma equipe grande, a ele que, sempre rompe as matas, sem ferir as florestas, trazendo o novo, o inédito, a esperança, a necessidade de conseguir lutando e continuando a acreditar nesse país que invibiliza e marginaliza homens e mulheres pretos”, alega Anelis



A Secretária de Cultura, Aline Torres, emocionada na ocasião, fez questão de afirmar que estátuas e monumentos servem para contar passagens de nossa história e que um dos projetos da Secretaria Municipal de Cultura, é construir mais estátuas de personalidades negras.


“Temos que contar a nossa história do nosso ponto de vista. Vamos aumentar o nosso acervo e redirecionar o curso. São Paulo é uma cidade de vanguarda; uma característica que também era do Itamar. É uma alegria presenciarmos a materialização desta memória coletiva. Eu não tive o privilégio de conhecê-lo fisicamente, temos todos o privilégio de receber seu testemunho vivo em sua obra”, afirmou a secretária



Gilberto Gil, um dos convidados de honra, também falou sobre a importância cultural de Itamar.


“Itamar era um artista maior, um ativista maior e de profundas responsabilidades, com seu povo, sua nação,sua tradição, seus antepassados e com o futuro. Plantou sementes importantes, como um pai de família. Pagou o seu tributo de um aspecto importante da vida, que é a reprodução, trabalhou pela reprodução não só física, através do seus filhos, do amor de sua mulher, a reprodução desse extraordinário rio de espiritualidade, de força cultural, desse rio cultural que ele tanto tributou. Águas das quais ele navegou de forma tão extraordinária”, concluiu.



A partir das 14 horas, ocorreram os shows do Bloco Carnavalesco da Penha “Cordão de Micaela” e também das Pastoras do Rosário. A celebração encerrou com o cortejo Ilú Obá de Min, às 18 horas.


Itamar Assunção nasceu na cidade de Tietê, interior de São Paulo, em 13 de setembro de 1949. Mas viveu na Penha por duas décadas. Sua carreira foi inspirada nas canções de Jimmy Hendrix e nas poesias de Paulo Leminski. Assumpção, faleceu aos 53 anos de idade, vítima de câncer, em 2003, deixando mulher e duas filhas.



Este projeto foi realizado com o apoio da 5a Edição do Programa Municipal de Fomento ao Serviço de Radiodifusão Comunitária Para a Cidade de São Paulo